As profissões do futuro no mercado de TI

Novos postos de trabalho surgem rapidamente, mas é precisso correr atrás, já que não existem cursos adequados para quem quer preenchê-los

Nos próximos anos, devem surgir no mercado novas profissões, impulsionadas pelo uso da tecnologia. Na realidade, hoje já convivemos com uma série de cargos que não existiam há alguns anos. Um exemplo é o caso dos profissionais que trabalham para melhorar a posição de uma empresa nos sites de busca, como o Google. Hoje isso não só virou uma área importante como tem sido uma ótima fonte de salário para pessoas como Fábio Riccota, que exerce a função de analista de SEO (otimização de mecanismos de busca, em português).

O trabalho de Riccota atende a uma demanda crescente das empresas: aumentar a visibilidade de suas páginas na internet. No entanto, faltam profissionais qualificados para exercer a função, uma vez que é uma profissão nova, para a qual não há cursos específicos.

"Eu estava em um ambiente com vários programadores que faziam SEO juntos. E eu comecei a perguntar para as pessoas como eu poderia aprender isso. Aí eles me indicaram alguns fóruns americanos e cartilhas. A partir daí eu comecei a aprender um pouco", conta Riccota, ao lembrar como conseguiu entrar na área.

Além do analista de SEO, outro tipo de novo profissional que também está em alta é o analista de mídias sociais. Thiane Loureiro está entre as poucas pessoas que já exercem a função. Ela conta que decidiu largar o jornalismo e ingressar nessa área, o que exigiu muita insistência e buscar 
 empresa nos sites de busca, como o Google. Hoje isso não só virou uma área importante como tem sido uma ótima fonte de salário para pessoas como Fábio Riccota, que exerce a função de analista de SEO (otimização de mecanismos de busca, em português).

O trabalho de Riccota atende a uma demanda crescente das empresas: aumentar a visibilidade de suas páginas na internet. No entanto, faltam profissionais qualificados para exercer a função, uma vez que é uma profissão nova, para a qual não há cursos específicos.

"Eu estava em um ambiente com vários programadores que faziam SEO juntos. E eu comecei a perguntar para as pessoas como eu poderia aprender isso. Aí eles me indicaram alguns fóruns americanos e cartilhas. A partir daí eu comecei a aprender um pouco", conta Riccota, ao lembrar como conseguiu entrar na área.

Além do analista de SEO, outro tipo de novo profissional que também está em alta é o analista de mídias sociais. Thiane Loureiro está entre as poucas pessoas que já exercem a função. Ela conta que decidiu largar o jornalismo e ingressar nessa área, o que exigiu muita insistência e buscar conhecimento por conta própria. "No comecinho do Twitter, eu seguia todo mundo, ia atrás pra saber o que cada um estava usando e fazendo", conta, acrescentando: "Aí, fui criando esse conhecimento e hoje consigo trabalhar com isso."

Mas, assim como na área de SEO, entre analistas de mídias sociais a história se repete: faltam profissionais e não há formação específica para quem quer ocupar um cargo nesse setor. "Essas profissões do futuro não têm faculdade hoje. As caracteristicas comportamentais é que são mais importantes", explica o diretor de recursos humanos Fernando Mantovani.

Para Thiane fazer cursos na área é importante, mas correr atrás e praticar faz muito mais diferença para quem quiser buscar uma oportunidade nessas novas profissões que surgem na área de tecnologia. Já para Ricotta, é essencial não perder tempo, uma vez que o mercado de TI se movimenta com muita rapidez.

olhardigital.uol.com.br/negocios/central_de_videos/profissoes_do_futuro

 

http://dicadeumamigo.webnode.com.br/