Seja senhor do tempo e não seu escravo

Aderbal Gonçalves

O mundo corporativo é rico em lugares-comuns ou frases feitas que ajudam a justificar cargas de trabalho além do aceitável. Alguns exemplos são: “Não ter tempo é sinal de importância”, “estresse é sinal de estatus”, “tempo é dinheiro, e dinheiro é sucesso, e sucesso é felicidade (exatamente nesta seqüência)”, “fazer muitas coisas ao mesmo tempo é sinal de inteligência e sucesso (e não de falta de foco)”, “para ter sucesso é necessário estar absolutamente informado sobre tudo o tempo todo”.

Nada mais ilusório e enganador, dizem os entendidos no assunto. “Esses paradigmas precisam ser desconstruídos e reinterpretados”, diz a consultora Carla Zanna, da Fator Consultoria, especialista em Psicologia Organizacional. “Precisamos gastar as nossas energias conscientemente, de acordo com nossas escolhas, objetivos, forças e competências. Esse é um dos caminhos para o bom gerenciamento do tempo e também da vida. Afinal, mais que dinheiro, tempo é vida.”

Tem muito profissional que chega ao final do dia sem cumprir uma ou outra tarefa por absoluta falta de tempo. Isso sem falar de não conseguir conviver mais com os familiares e os amigos, ou fazer ginástica, ler, ir ao cinema e várias outras atividades, que acabam sempre colocadas em segundo plano. Reverter essa loucura é possível, acredita Carla. “O primeiro passo é conscientizar-se de que o tempo já está definido e que não temos como interferir sobre isso. Por outro lado, cada um é livre para manejar sua própria vida, mudando hábitos, por exemplo”.

Para tornar o trabalho mais produtivo, ensina ela, podemos utilizar estratégias, desde as mais simples, como diminuir pequenos vícios (cafezinhos, papos de corredor, preciosismos), adquirir novos hábitos (registrar compromissos em uma agenda, concentrar reuniões mais curtas numa mesma tarde), até mesmo reduzir ou eliminar atitudes que são válvula de escape para problemas reais e que consomem tempo excessivo (internet, celular, compras, reuniões intermináveis).

Para Carla, o ideal é desenvolver uma visão mais ampla da gestão do tempo, para termos mais poder sobre o tempo e sobre a nossa própria vida. "Se o dia tem 24 horas para todos e isso não vai mudar, a combinação de plena consciência e determinação reflete-se no poder pessoal e por meio dele é possível realizar quantas mudanças forem necessárias para uma vida plena", diz.

Baseada em sua experiência profissional, ela dá seis dicas que, na sua opinião, podem garantir uma melhor gestão do tempo:

Autoconhecimento - “A primeira diz respeito ao autoconhecimento. As pessoas precisam se conhecer melhor. Um bom exercício é perguntar a si mesmo o que faria se pudesse mudar algo em sua vida para aumentar significativamente sua felicidade”.

Prioridades - "A segunda questão enfatiza a identificação de prioridades e a dica, aqui, é estabelecer metas relevantes. Ou seja, ao invés de uma longa e inatingível lista, traçar objetivos e estabelecer prazos para cumpri-los.

Foco - Depois de definir metas com clareza, o objetivo é dar foco. “Às vezes, é necessário fazer uma coisa de cada vez”, ela avisa.

Livre-se do desperdício - Outro ponto importante, segundo ela, é identificar com clareza os desperdiçadores de tempo e livrar-se deles. É bom ouvir o colega que vem contar as novidades, mas sem exageros.

Diga não - Para ganhar tempo é fundamental também saber dizer “não”, mas com assertividade. Não se trata de sair virando às costas a todos no trabalho, mas ser honesto e deixar claro que você tem tarefas a cumprir e só poderá ajudar ao próximo quando tiver tempo.

Determinação sempre - “A última dica diz respeito à determinação. É necessário manter-se determinado para conseguir gerenciar melhor o tempo. Não há como prever todos os contratempos ou fatos inesperados. Entretanto, é mais fácil lidar com essas variáveis quando se controla o que já estava programado”.

http://dicadeumamigo.webnode.com.br/